Qual a diferença entre tristeza e depressão?

Depressão e tristeza, você sabe qual a diferença?  Tristeza é um sentimento causado por situações específicas, que perdura por um tempo curto mas passa.  Depressão é uma doença, com muitos sentimentos que envolvem a pessoa, sem causas aparentes, e não passa com o tempo.

A depressão inclui não só tristeza, mas também angústia, baixa estima, apatia, pensamentos pessimistas, choro, e outros sentimentos negativos.  A pessoa tem dificuldade de fazer atividades cotidianas como se relacionar com os outros, se alimentar, dormir, manter cuidados pessoais.  É como se uma forte indiferença se instalasse, e a pessoa não tem vontade para nada.

Infelizmente a depressão é confundida com moleza, falta de vontade, preguiça, porque não se reconhece motivos para o estado apático.  Esse julgamento da sociedade traz culpa e sentimentos de fraqueza para o depressivo.  É como se todos devessem estar sempre felizes, e se não há motivo que justifique a tristeza, a pessoa é cobrada e julgada como fraca.

Preconceitos sobre a depressão

Relatos como os abaixo demonstram o quanto de desconhecimento ainda existe sobre a depressão:

Como vou falar para meu chefe que estou com depressão!?  O que ele vai pensar … que é frescura e que estou desmotivada… vai colocar meu emprego em risco.  Não vou falar para ninguém que é depressão… assim vou parecer fraco… não podem ter essa imagem de mim!

As pessoas sofrem muito preconceito em relação a parecerem fracas, pois demonstrar fraqueza é demonstrar menos capacidade.  Se sentem menosprezados e essa cobrança dificulta inclusive o reconhecimento da depressão.  Em não reconhecendo sua própria doença, o depressivo não vai procurar ajuda, o que só dificulta sua recuperação.

Na família, no trabalho, para os amigos, uma doença é reconhecida quando o indivíduo apresenta sintomas físicos – como uma gripe, uma dor de cabeça, um braço quebrado – tudo isso justifica o mal-estar, a indisposição ou uma incapacidade temporária de realizar suas atividades cotidianas.

Causa de inúmeras doenças.

A depressão é a causa de inúmeras doenças no mundo e atinge mais de 11 milhões de brasileiros.  Ainda assim não é reconhecida socialmente como doença.  Inúmeras vezes o indivíduo, para não ser julgado, acaba escondendo seus sintomas, o que cria um grande ciclo vicioso.

Outra problemática da depressão é que o indivíduo não tem vontade para nada. Desta forma ele não tem ações – não vai trabalhar, não vê pessoas, não se alimenta, etc.  Ou quando tem ações, faz o mínimo possível, ou faz sem mesmo estar na situação.  O problema é que todas essas ações geram consequências.  Essas consequências são as responsáveis pela motivação, pelo animo, pela disposição de continuar fazendo.  Quando a pessoa não faz nada, perde essas consequências, e só aumenta a falta de vontade de não fazer nada.  Esse abatimento também gera condições físicas indesejáveis.

Tratamento para a Depressão

O tratamento é feito com o uso de medicamento e também com a terapia comportamental.  Os medicamentos são indicados para que os principais sintomas sejam amenizados.  Assim, com mais disposição, mais leveza, a pessoa consegue se beneficiar da terapia e buscar alternativas para construir um novo caminho.

Para a Psicologia é possível que o indivíduo consiga analisar seus próprios comportamentos e aprender novas maneiras de reagir frente sua rotina.  Aqui vale lembrar que devemos considerar inclusive seus pensamentos e sentimentos e não somente ações visíveis.  É a partir da relação que temos com o mundo que aprendemos a falar, a andar, e a sentir também.  Desta maneira uma das principais frentes de trabalho com o depressivo é a psicoterapia comportamental, uma vez que poderá ensiná-lo a desenvolver novos comportamentos/pensamentos/sentimentos frente as dificuldades que vivencia.

A depressão pode acometer qualquer pessoa, em qualquer idade, em qualquer momento da vida.  Ela atinge a pessoa e também traz grande sofrimento para a família, uma vez que impacta a rotina de todos – por isso o auxílio da psicoterapia é tão importante.

Angústia e medo do futuro.

Por vezes, o medo do futuro, a angústia, a falta de prazer para as coisas da vida, o sofrimento é tão profundo que a única alternativa vista pela pessoa é acabar com sua própria vida.  Esse é o maior risco do depressivo.  É preciso estarmos atentos pois o suicídio não é uma moda, ou uma forma de chamar atenção.  O suicídio é uma realidade para os depressivos.

Portanto, se você se identificou com algum dos itens descritos no texto, busque ajuda de um psicólogo.  É possível se sentir melhor e sentir prazer nas coisas da vida novamente.  Será um reaprendizado.

Se você detectou sintomas em alguém do seu convívio, tente compreender a situação e saiba que a pessoa precisa de auxílio psicológico para superar esse momento.  Dê mais apoio e julgue menos.  O que você pode fazer para ajudar é incentiva-lo a buscar apoio especializado.

O tratamento para a depressão é lento, mas traz ótimos resultados, principalmente quando contamos com o apoio e compreensão da família que é aquela motivaçãozinha paralela para o paciente engajar no tratamento.

Acredite no poder da palavra desistir

Tire o D e coloque o R

Que você vai resistir

Uma pequena mudança

As vezes traz esperança

E faz a gente seguir

B. Bessa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Agende seu horário